Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Me Cookies and Milk

Me Cookies and Milk

Deixem os nossos meninos brincar

DSC_0063.JPG

 

Ontem, enquanto dava a sopa ao Martim, o Dinis desenhava ao meu lado. De repente perguntou-me como se escrevia Martim. Estranhei, mas lá respondi, meio a despachar, “M”, “A”… e quando olho para ele já tinha desenhado estas letras. Ele já aprendeu no colégio a escrever o nome dele, mas não é suposto ele já saber as outras letras que não componham o nome dele…

Hoje, quando deixo os miúdos no colégio vejo expostos os últimos trabalhos dos meninos da sala de 5 anos. Eles tinham trabalhos com o número 7. Parei a olhar para o placard indignada. Bolas,  estas crianças deviam estar a brincar. Quando chegarem à primeira classe vão aprender o quê?

Já falei aqui disso, e preciso de continuar a falar porque preciso mesmo de desabafar 

Apregoo-o em todas as reuniões a necessidade de deixar os nossos filhos brincarem, explorarem o mundo pelas suas próprias mãos, conhecerem-se, sentirem curiosidade e trabalharem os relacionamentos.

Eu sei, eu sei, que as mães exigem que os meninos já saibam escrever o nome, que entram em competição para ver qual dos filhos já sabe mais letras e números, mas eles são apenas crianças.

Eles vão ingressar na escola não tarda nada, vão deparar-se com coisas que já conhecem, e lá se vai o fator “uau” da escola. Digo ao Dinis que na escola vai aprender coisas novas, mas claramente estou a mentir-lhe. Ele vai “aprender” o que já sabe e ainda vai ter de lidar com a mudança de hábitos, amigos, rotinas, etc… Onde vai ele buscar motivação e como pode ele vir a gostar da escola se lá não existe “nada de especial”?

Choquem-se mães que exigem que os vossos filhos já saibam o abecedário, mas lá em casa não ensino uma única letra ou número ao Dinis, nem tão pouco o incentivo a escrever o nome dele.

Mas sabem mães, o Dinis já sabe todos os planetas do sistema solar. Um dia andava a brincar pelo sótão e descobriu livros sobre esta temática. Ficou horas a olhar para aquilo e pediu que lhe explicasse. Assim o fizemos, e hoje, alguém dos planetas, o Dinis reconhece algumas constelações. Não é incrível? É certamente. Mas o incrível de tudo isto é o Dinis ter a oportunidade de explorar o mundo à sua volta sem pressões.

Hoje mães, deixem os vossos meninos tirar os olhos dos livros de exercícios e olhar para o céu. Olhem vocês também e vejam o quanto é incrível…