Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Me Cookies and Milk

Me Cookies and Milk

#TiradasdoDinis

Depois de 30 minutos a dizer ao Dinis para se calar e dormir, eis que surgem 10 segundos de silêncio e depois uma pergunta:

- Mãe, tu andas a beber sumos?

- Não ! Mas porque perguntas?

- Andas muito irritada. Isso deve ser dos sumos. 

- Oh Dinis, dorme masé!

 

Mais 10 segundo de silêncio e...

- Mãe, oh mãe.

- Diz Dinis! 

- Tu vê lá se ficas menos irritada, porque  ainda me estragas a festa de anos com tanta irritação!

 

e pronto... é isto! 

Oh pais, vá lá, ajudem-me!

40_52.JPG

 

O Dinis anda a testar os nossos limites!

A paciência torna-se pouca quando tens o mais novo doente e a chorar por tudo e por nada, o pai a ficar adoentado, e não estás na tua casa a geri-la como queres ao nosso ritmo e com privacidade.


O Dinis é muito pouco social. Até aqui nenhuma novidade. O Dinis é muito esperto, e sabe muito bem onde e como pode ter o que quer. O problema dele é que não estou propriamente disposta a vê-lo tentar infringir as minhas regras sem lhe dar luta.
Resumidamente, esta mega birra (mega porque já dura há imensos dias) surge porque no colégio autorizaram os miúdos a levar tablets. O Dinis dizia que queria levar o nosso porque os colegas também levavam. Sempre achei aquilo muito estranho. O Dinis não mente, mas por momentos duvidei e fui confirmar com a auxiliar da sala dele. A resposta foi “Oh mãe, sim, eles podem trazer os tablets sem problema”.
Como?!? Levar tablets para o colégio? Eles têm 4 anos (quase 5) deviam estar a chafurdar-se na terra, a comer os lápis de cera ou a tentar subir às árvores. Caraças, o Dinis não tem um tablet, o pai empresta-lo um bocadinho para jogar. Nas férias (minha culpa) dei-lhe algumas vezes o tablet para o entreter enquanto tentava cozinhar sem ele estar pendurado nas panelas (que querem o rapaz é muito curioso), mas quando regressámos às rotinas o tablet desapareceu. E ele aceitou bem até… chegar ao colégio e os miúdos andarem de tablet por tudo quanto é canto.
Oh pais, ajudem-me lá a acabar com esta birra. Eu sei que às vezes é dificil, não temos paiência e só queremos sossego depois de passarmos o dia inteiro a ouvir a chata dos recursos humanos a pedir que assinassemos os recibos de vencimento, ou termos um reunião de 3 horas com aquele cliente com um hálito insuportável. Eu sei Pais, eu compreendo-vos. Mas vamos fazer um esforço para eles passarem menos tempo com estes aparelhos na mãos, ok?

Deixo-vos aqui algumas dicas que até resultam com os rapazes lá em casa:

Mãos na massa
Precisa de cozinhar mas os miúdos não descolam?

Um bocadinho de farinha, água e umas pinguinhas de azeite e voilá, têm uma bela pasta para eles moldarem. Passem-lhe restos do comida (cebola, cenoura, ervilhas... o que estiverem a usar para cozinhar) e digam-lhes para fazer uma pizza. 

(Podiam fazer isto com plasticina, mas, no meu caso, não gosto nada, mas mesmo nada de plasticina. Cola-se por todo lado e deixa umas nódoas esquisitas na roupa. Além do Martim achar que aquilo se pode comer com a força toda. Por isso, lá em casa não tenho plasticina.)

 

Pôr a mesa
Na mesma saga da anterior, "quero cozinhar mas eles não descolam"

Convidem-nos a pôr a mesa. A probabilidade de ficarem com parte do serviço de louça em cacos é gigante, mas, por norma, até corre muito bem. Vejam também as coisas pelo lado positivo, caso ainda tenham aquele serviço com flores  que a avó deu em 1987, pode ser uma boa altura para o "fazer desaparecer" 
(Não se esqueçam de não lhes dar as facas... A não ser que os estejam a treinar para faquir  )

 

Lavar a loiça
E continuamos na mesma saga "oh pah deslarguem-me as pernas que eu preciso de vos alimentar"

É a atividade "de adulto" que o Dinis mais gosta. Um banco para chegar ao lavatório, um saco plástico do lixo que rasgo em 3 sítios para lhe enfiar na cabeça e braços, e fica assim com uma bata à medida. Garantia que se divertem e não há tshirts encharcadas a cada 30 segundos. 

Uma dica muito importante, encham uma bacia com água. Não deixem sempre a água a correr!!! (eles iam adorar, mas vamos lá olhar por este cantinho maravilhoso que é a Terra)

 

Jogar ao sério
"Dava um dedo mindinho por 10 segundos de silêncio!"

Fácil! Digam-lhes super entusiasmados (faz toda a diferença eles sentirem que vocês querem mesmo jogar) "Queres fazer um jogo espetacular comigo? O primeiro a abrir a boca perde!!" O Dinis já aguentou uns 30 segundos!

Uma nota, não joguem caso o rapaz tenha o nariz entupido. Pode ser difícil respirar 

 

Mostrar fotografias de quando eram bebés

É talvez a sugestão mais fofinha que dou, e acreditem que resulta sempre. Sabem porquê? Eles adoram ver fotografias deles bebés (embora isso tenha sido apenas há 1 anos atrás) e nós também. O que acontecem é que nós esquecemos as panelas e roupa e sentamo-nos com eles a rever aqueles momentos e tudo fica melhor!

 

Que dizem pais, estamos juntos nisto?

Eles, felizmente, crescem!

As redes sociais enchem-se de fotografias, e desabafos/lamentos, de mães que deixam as crias pela primeira vez no colégio. Revejo-me em quase todas as publicações, exceto numa.
Uma colega legendou uma foto do menino dela preparado para ir para a escola com “é uma pena que eles cresçam tão depressa”.
Percebo o que quis dizer, mas não concordo absolutamente nada.
Não tenho medo de envelhecer, nem tão pouco de ver os rapazes a ganhar asas e sair de casa rumo à vida que escolheram… Tenho apenas medo de não estar cá para ver e dar-lhe o abraço de todos os dias.
Por isso, por cada novo dia, por cada nova etapa e ano de vida, obrigada! Estou ansiosa e desejo muito ver-vos velhinhos