Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Me Cookies and Milk

Me Cookies and Milk

Crescimento, as conquistas mais intensas!

nynne-schroder-687476-unsplash.jpg

 

O crescimento dos nossos filhos é um desafio constante, repleto de tantas alegrias e outras tantas incertezas e inseguranças.


Mas ao longo deste, ainda breve, crescimento dos rapazes há 3 momentos que me fazem vibrar intensamente e me dão vontade de correr pela casa com a camisola na cabeça e braços abertos que nem os jogadores de futebol… São eles:

Quando começam a andar: Que maravilha! Finalmente tornam-se autónomos para ir à sua vidinha caso estejam fartos de me estar a observar a tentar fazer alguma comida comestível. “Não queres estar aqui? Força, levanta-te e anda. Andor. Siga.” E eles lá vão.

Quando aprendem a fazer xixi e cocó no pote: São memoráveis aqueles saltos, high-five e palmas que ocorrem mal vislumbramos um xixizinho e cocózinho naquele pote. De salientar que o mesmo entusiasmo sente a nossa carteira.

E finalmente quando eles aprendem a assoar o nariz: Passámos meses a limpar aquele nariz com soro e água do mar para evitar que as secreções se acumulem e ganhem umas complicações respiratórias. Aquele ruido de ranho a subir de descer que nos mexe com o sistema nervoso e que só nos faz pensar em ir buscar pimenta à cozinha para lhes passar no nariz e pô-los a expirar… Saímos das consultas de urgência desanimados com mais um antibiótico e o desabafo do médico “se ele se soubesse assoar ajudava a não ganhar tantas infeções…” Saímos do consultório decididos a ensinar-lhes a assoarem-se, custe o que custar, mas a tarefa nunca é fácil. Connosco demorou cerca de 2 anos e meio até eles perceberem as nossas instruções e repetir aquilo que (ridiculamente) exemplificámos. Mas quando sai o primeiro ranhinho… a alegria é tanta que é capaz de nos fazer verter uma singela lágrima.

 

E pronto, são estas as 3 fases da vida destes pequenos que mais sentimos o sabor da vitória. 

 

Para quem pensou que ia referir momentos mais comuns, como dizer “mamã ou papá”, esqueçam lá isso. Não faço ideia se aquele balbuciar “mama” era efetivamente “mamã” ou queria mesmo a mama.

1 comentário

Comentar post