Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Me Cookies and Milk

Me Cookies and Milk

Planos para a vida? Não, obrigada!

DSC_0030.JPG

 

Ouço recorrentemente as mães ou futuras mães a falar das suas previsões para os seus filhos quando forem crescidos. Elas acham que vão ser engenheiros civis, porque fazem construções em legos impressionantes. Mas também podem ser trolhas, não? Ou vão ser grandes gestores, porque tão pequeninos e já têm a arte de influenciar as pessoas, de negociar/regatear. Mas também podem ser feirantes, não? Ou então vão ser grandes artistas plásticos porque fazem peças impressionantes em plasticina. Mas também podem ser artesãos, não?

Há profissões para todos os gostos, mas todas elas em GRANDE.

Talvez por me desviar um bocadinho daquilo que é considerado o “padrão de mãe” eu nunca imaginei como seria o Dinis ou o Martim antes de nascerem. Não os imaginei com os meus olhos verdes e cabelo loiro, nem com as orelhas e o nariz do pai. Fossem, como fossem seriam perfeitos para nós com certeza. Também nunca imaginámos que profissão teriam eles, nem o tipo de pessoas se irão tornar - serão sociáveis, tímidos, educados, rabugentos, orgulhosos, desenrascados, românticos, católicos ou fúteis? Não sabemos e, sinceramente, não queremos saber.

Eles serão aquilo que quiserem, sem pressões nossas. A vida encarregar-se-á de lhes mostrar vários caminhos e nós pais só podemos aconselhar, mas nunca podemos decidir por eles. Os filhos não são nossos, não podemos usá-los para concretizar sonhos que não conseguimos realizar, nem que sigam os nossos passos. Isso seria puro egoísmo nosso.

Todos os dias pedi apenas (mesmo antes de ser mãe) que os meus filhos fossem saudáveis, e se possível fossem boas pessoas/bons cidadãos. Que fossem educados e que respeitassem a vida (a sua e a dos outros). Todos os dias trabalhamos nesse sentido e tentamos dar o exemplo.

O Dinis é muito envergonhado e embora já frequente o mesmo colégio há 3 anos, ainda hoje não tem coragem de dar “bom dia” à senhora que nos recebe no colégio. Todos os dias o incentivamos a cumprimentar as pessoas, mas nem todos os dias o faz (raramente o faz). Continuaremos a dar-lhe o exemplo. Se seremos bem-sucedidos? Não sabemos.

Ontem recebemos a avaliação do colégio em relação ao desenvolvimento do Dinis. Vimos de rajada que tinha as cruzinhas todas na coluna do meio (nível atingido). Ótimo. Há pais que vibraram com o “nível superado” atingido pelos seus filhos. Nós vibrámos com as observações em relação ao comportamento do Dinis “O Dinis é uma criança meiga… trabalha com os colegas e ajuda-os. É sensível aos sentimentos, interesses e necessidades dos outros…” Oh pah, posso pedir mais? Claro que não. Assim está perfeito!

4 comentários

Comentar post