Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Me Cookies and Milk

Me Cookies and Milk

Sistema informático da Segurança Social, aguenta-te!

DSC_0027 (3).JPG

 

Os avós vão fazer a sua primeira viagem de férias, vão a Roma (aiii inveja boa), logo tive de tirar uns dias de férias para ficar com a cria mais nova em casa.
Aproveitei para ir (outra vez) à segurança social para perceber o que se passa com o subsídio de maternidade que ainda não se deram ao trabalho de pagar. Sim, literalmente não se deram ao trabalho de processar o pagamento do subsídio.
Quando ao fim de 1 mês e meio de licença não vimos cair na conta um cêntimo da segurança social, fomos lá. Esqueceram-se de actualizar o nosso NIB. Ficamos incrédulos, respiramos fundo e pensamos “ok, errar é humano, não vamos reclamar”. Aguardamos mais um mês, e outro, e lá caiu o subsídio de 1 mês e meio de licença, mas já tinham passado 4 meses e eu estava prestes a regressar ao trabalho. Voltei lá. Disseram que tinham de esperar que o banco devolvesse o pagamento, bla bla bla wiskas saquetas, mas que no próximo mês nos pagavam tudo… Voltamos a respirar fundo e acreditamos na palavra da senhora. Fizemos mal. Passou mais 1 mês e nada!
Voltei lá hoje, de caneta em cunho para reclamar e exigir responsabilidades. Fui atendida por uma senhora tão delicada e afável que perdi a vontade de reclamar. Mostrou-se preocupada, ligou para a contabilidade (ouvia-a, numa outra sala, ao telefone a reclamar com as colegas), imprimiu o meu processo e disse:
- Não se preocupe, eu vou acompanhar o processo e garantir que recebe as prestações em falta no próximo processamento. O problema é que o próximo é para pagamento a 21 de julho…”
- Ai meu Deus, mais 1 mês e meio à espera?!? – desabafei
- Sim, não podemos fazer mais nada a não ser garantir que não é esquecida na próxima vez…
Agradeci e preparei-me para levantar já a pensar como ia conseguir esticar o dinheiro por mais este tempo. As lágrimas vieram-me aos olhos. Ela olhou para mim e disse “Vai lá fora e peça para falar com o Director. Reclame!”
Levantei os olhos e disse-lhe que não a queria prejudicar porque ela tinha sido tão simpática comigo, ao que ela respondeu “Não me prejudica. Só vai exigir o que é seu por direito próprio e contribuir para que estas situações lamentáveis não se voltem a repetir”.
Agradeci e fiz o que ela disse.
O director recebeu-me de rosto fechado e pouco simpático. Depois de relatar tudo de forma cordial, mas não menos indignada, pediu-me desculpa e mostrou-me no computador que já estava dada a ordem de pagamento. Foi a senhora que me atendeu anteriormente que o tinha feito. Já o podiam ter feito nas outras vezes que lá fui reclamar mas tinham decidido não o fazer. Disse ele “Bastava clicar num botão a dizer “sim, reemitir pagamento”. Suspirou e eu suspirei também pela falta de sorte e de profissionalismo. Disse-me que no final do mês de Julho recebia as prestações em falta a não ser que houvesse um colapso informático.
À sorte que temos nestas coisas, é bem provável que o sistema informático da segurança social arrebente nos próximos tempos.
Vamos esperar que não